Exercícios de felicidade
Empresas
Relacionamentos
Paternidade e Escolas
Saúde
Origem » Empresas, Todos

Desvio Positivo

por em 28/09/2012 – 8:00 am  Nenhum comentário
 

Amanda Horne é coach executiva e facilitadora, cujo tema de foco organizacional é "Pessoas e Ambientes de Trabalho que florescem." Ela é formada em Coaching de Felicidade Autêntica e membro fundadora do Positive Workplace International. Bio Completa.

Amanda escreve todo terceiro dia de cada mês, e seus artigos estão aqui.



Nota da Editora: Este é o terceiro de uma série de artigos sobre o Manual Oxford de Bolsas de Psicologia Organizacional – The Oxford Handbook of Positive Organizational Scholarship. Veja também o artigo de Kirsten Cronlund, Uma Poderosa Coleção: Revisão de Livro e o artigo da Amanda Horne, Organizações Virtuosas.

Um exemplo de Desvio Positivo

     Plantações no Vietnã

Há doze anos, a Harvard Business Review publicou um artigo sobre o papel que a organização Save the Children teve na redução da desnutrição infantil em vilas rurais do Vietnã. O comportamento foi modificado pelo exame de desvio positivo na comunidade: as famílias que não tinham casos de desnutrição porque alimentavam suas crianças de maneira diferente, contra a sabedoria convencional. Por meio de ajudarem o restante dos moradores da vila a descobrirem este comportamento que já estava ocorrendo entre os seus membros, a mudança foi implementada de dentro.

“… a abordagem de desvio positivo cria soluções inovadoras… e oferece importantes vantagens sobre abordagens tradicionais que tentam impor soluções provenientes de fora.” Sternin & Choo

Esta estória inspiradora é um dos muitos exemplos de Desvio Positivo (VP) que ocorre nas ciências da saúde e nutrição. No Capítulo 77 do Manual The Oxford Handbook of Positive Organizational Scholarship, Marc Lavine revisa a história do desvio positivo e sugere que acadêmicos de gestão e organizacionais deveriam “fazer mais uso do DP como um método de aprendizado ou tecnologia aplicada.”

Ele observa que o livro de 2003 Positive Organizational Scholarship incluiu um exame dos desvios positivos nas organizações por Gretchen Spreitzer e Scott Sonenshein. Eles forneceram definições, construtos, e agendas de futuras pesquisas. Nove anos mais tarde, pouco tem acontecido para expandir esse trabalho no cenário organizacional. Lavine afirma que o DP tem florescido no ambiente de serviços sociais, com a Iniciativa de Desvio Positivo fornecendo“o tratamento mais abrangente da abordagem da DP aplicada até o momento.”

O que é Desvio Positivo?

Mark Lavine

DP é um ato e também uma abordagem.

As origens do desvio positivo remontam à Marian Zeitland , que é considerada a originadora do desvio positivo no início de 1900, e à Jerry e Monique Sternin que são vastamente considerados como os pioneiros do desvio positivo.

“O Desvio Positivo é baseado na observação de que em toda comunidade há certos indivíduos ou grupos cujas estratégias e comportamentos incomuns os capacitam a encontrar soluções melhores que seus pares, enquanto teem acesso aos mesmos recursos e enfrentam desafios piores ou semelhantes. O enfoque no Desvio Positivo é baseado em recursos, resolução de problemas, e impulsionado pela comunidade, o qual capacita a comunidade a descobrir essas estratégias e comportamentos bem sucedidos, e a desenvolver um plano de ação para promover sua adoção por todos os envolvidos.” Site: The Positive Deviance Initiative

Lavine observa que Spreitzer e Sonenshein definem desvio positivo como um “comportamento intencional que se desvia das normas de um grupo de referência de maneira honrosa”. Lavine atualiza a definição, “O DP é um comportamento incomum que não se encaixa às normas esperadas, mas seria considerado positivo pelo grupo de referência”. Esta definição incorpora o que Levine considera as qualidades essenciais do desvio positivo.
O desvio positivo foca atenção nos finais extremos do espectro positivo. O enfoque do DP inclui:

  •  Identificação do problema / desafio
  •  Pressuposto de que a solução existe na comunidade e que as fontes internas são especialistas
  •  Descobertas baseadas no inquérito do desvio positivo
  •  Observação dos comportamentos daqueles que conduzem desvio positivo cria um senso de propriedade naqueles que buscam a mudança
  •  Provas sociais em vez de soluções hipotéticas
  •  Mudança orgânica proveniente de dentro
  •  Reprodução e adaptação, em vez de criação de um projeto modelo
  •  Boa liderança
  •  Mudança gradual da norma como desvio se torna o comportamento de costume

 

Novos insights

Similar ao Inquérito Apreciativo?


Quando li sobre o desvio positivo, achei muito semelhante ao inquérito apreciativo. Fiquei contente ao ler a clara definição das diferenças entre o inquérito apreciativo e o DP. Ele as considera como enfoques complementares. O inquérito apreciativo utiliza o processo da descoberta para provocar novos insights e criar mudança catalisadora, a qual se desvia do que foi originalmente identificado na fase da descoberta. O desvio positivo por outro lado, busca reproduzir o comportamento de desvio o que descobriu. O inquérito apreciativo geralmente constrói sobre o que já está funcionando bem dentro do sistema (ex. dentro da empresa ou grupo de pessoas que querem melhorá-la) enquanto o desvio positivo é frequentemente utilizado para contrastar um sistema que funciona ao lado de um que não funciona, para melhorar aquele que não funciona. O desvio positivo geralmente é utilizado para resolver problemas muito difíceis, em vez de fazer mudanças incrementais, ou melhoras catalisadoras.

Direções Futuras

Espiral ascendente

O enfoque no DP está definhando no mundo organizacional. Lavine propõe diversas perguntas de pesquisa que poderiam estimular uma maior utilização do enfoque em DP. Esses incluem:

  •  O que faz com que os desviados positivos variem?
  •  Quando o desvio é um fenômeno em nível de grupo?
  •  O que contribui para o desvio positivo em organizações?
  • Como uma pessoa pode facilitar um enfoque em DP de maneira habilidosa?
  •  O DP pode ser aplicado em tarefas complexas?
  •  Quais são os efeitos do enfoque em DP a longo prazo nos sistemas e organizações?

 

Espiral orgânico

O Jargão Está Ocultando a Mensagem?

Eu adicionaria meu desejo de que o termo “desvio positivo” seja reconsiderado. Acredito que um novo termo possa melhorar a participação do DP. Lavine afirma que a palavra “desvio” é normalmente compreendido como negativo, e traz à mente comportamentos que são socialmente inaceitáveis. Essa é certamente a reação recorrente entre meus pares e colegas que não se acostumam ao termo. Eles não conseguem imaginar suas equipes buscando entusiasmadamente fazer seus projetos em desvios positivos.

No próximo mês – um curto artigo sobre O Continuum do Desvio Positivo de Kim Cameron.

 

______________________________________

Referências
Lavine, M. (2011). Positive Deviance. In K. Cameron & G. Spreitzer (Eds.), The Oxford Handbook of Positive Organizational Scholarship. Oxford University Press.

The Positive Deviance Initiative, Tufts University.

Pascale, R., Sternin, J.,& Sternin, M. (2010). The Power of Positive Deviance: How Unlikely Innovators Solve the World’s Toughest Problems. Cambridge, MA: Harvard Business Press.

For information about Jerry and Monique Sternin’s work in Vietnam with Save the Children see these three articles:
Positive Deviant, by David Dorsery, November 2000, Fast Company
Sternin, J. and Choo, R. 2000. The power of positive deviancy. Harvard Business Review, 78(1): 14–15.
Positive Deviance and Unlikely Innovators: HBR IdeaCast, June 2010

Imagens
Plantação no Vietnam cortesia de United Nations Pictures
Lâmpada cortesia de Jonathan Jones
Espiral da bicicletal cortesia de Sam Ilić
Espiral Orgânico cortesia de brewbooks

Comente!

Adicione um comentário abaixo, ou trackback para o seu site. Você pode também inscreva-se para esses comentários via RSS.

Seja legal. Mantenha-se no tópico, não escreva tudo em maiúsculo e, claro, sem Spam.

Você também poderá utilizar os seguintes recursos:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Este site utiliza ícones Gravatar para identificar os usuários. Para obter o seu Gravatar, inscreva-se em Gravatar.